Pobre Diabo

Microconto Inabitual

Elisa matou o marido às duas. Isso é o que constava no processo. No depoimento ao delegado disse categoricamente: "foi o diabo". Acontece que o tal comissário de polícia era uma daquelas figuras ecumênicas, que vai aos terreiros, missas e cultos. Então decretou: "o diabo precisa se pronunciar". Expediu a intimação. O responsável pela entrega anunciou aos quatro cantos que precisava entregar a intimação ao demônio, mas não sabia onde encontrá-lo. O diabo, sempre solícito, compareceu à delegacia. Defendeu-se argutamente, disse que as acusações eram infames oriundas de uma mente doentia que pretendia tão-somente manchar sua reputação ilibada.
Foi ao banco dos réus. Advogado de si mesmo. Recorreu a livros de Freud, Marx, Sartre, Descartes, Hobbes e Rousseau. Até a Augusto Cury. Estava difícil. Condenado à prisão perpétua por assassinar a sangue frio, com 17 facadas no peito, o cônjuge de Elisa.
Elisa vive bem com os filhos e o atual esposo, leiteiro há duas decadas da vizinhança.
O capeta cumpre pena em regime fechado. Desde então, sem o diabo para equilibrar as coisas, o mundo se tornou um caos.

8 comentários:

Casti disse...

Caro Antonio, preciso dizer que em poucas palavras e em alegoria real tudo foi dito ? Adorei!!!

Abração,
Casti

*Caroline Schneider* disse...

Adorei este teu conto, meu caro. Descobristes então o porquê deste caos, não é mesmo? rsrsrs. Também voltarei mais vezes, e, lendo teu relato do show, senti uma fisgadinha de inveja, pois sempre tive vontade de ir a um show do grande Chico mas nunca tive oportunidade de ir (mais risos)! Mas como a vida é uma grande "roda-viva" mesmo, oportunidades não me faltarão, rsrs. Desejo-te muita sorte neste espaço, que pelo que vejo está a engatinhar. Agradeço ter adicionado meu blog aos teus links favoritos e adicionarei o teu também aos meus. Beijocas estaladas* e bom final de semana pra ti.

A czarina das quinquilharias disse...

vixe, mas é que a gente tem mania de botar a culpa de tudo na pobre da besta...
:P

Edilson Pantoja disse...

Quero ver agora em eum vão pôr a culpa.
Abraço, Antônio!

Ana P. disse...

Coitado! Pobre inocente cumprindo pena [o que não é novidade!]... agora se o leiteiro morrer, quem a Elisa vai culpar?!?!?!

Otávio M Mártinezi disse...

Olá, Antônio. Primeiramente, muito obrigado pelo comentário deixado em meu blog. Estive lendo seus textos e também me surpreendi. Depois da leitura deste conto, pensei: será que algum capetinha está indo levar ao menos um pouco de nachos com chili para o diabo na prisão? rs
Um abraço!

Sandra Regina de Souza disse...

E o pior é que agora, quando mandarmos alguém "pros diabos" o infeliz vai ter de mofar na prisão junto com o Diabo! (adorei o humor fino!)
meu beijo de retribuição pela visita!

cm disse...

...a justiça feita juiz e carrasco a quem nem o diabo foge...fica o caos em honra do inocente...
um abraço e adorei