O peixinho que virou gente

Microconto Inabitual

Um peixinho no aquário é um peixinho no aquário, não pode ser outra coisa. Nadando ininterruptamente por entre pedras, algas e bonecos em água trocada com periodicidade. Ah, como é lindo e absurdo o ócio dos peixes, sem preocupações com retórica, política ou papel higiênico. Eles nem precisam ir ao banheiro nem bater ponto no trabalho nem ouvir as reclamações de filha adolescente.

Mas Thunderbolt era diferente, um peixinho minúsculo de aquário. Ele queria ser gente. Ser compositor de música popular, não sei. Marceneiro, quem sabe. Advogado, talvez. Queria ser gente. Cansou-se de utilizar suas nadadeiras para o simples ofício de boiar, precisava experimentar o fogo-fátuo de ser humanóide. O desejo o corroia ao ver os homens andando independentes por aí. Ser um homem era ser livre.

Em momento de distração de olhos de gente ele deu um salto sublime do aquário que o enjaulava. Pelo ar uma calda de respingos d'água formou um quase imperceptível arco-íris. Caiu sôfrego no chão de ardósia. Quando as pálpebras de Thunderbolt se fecharam virou gente.


9 comentários:

Edilson Pantoja disse...

Alô, Antônio!
Thunderbolt muda o estigma de que peixe apenas "nada". Abraço forte!

Edilson Pantoja disse...

Escreve para :marajupema@ig.com.br (apenas para eu adquirir teu enderço e passar as instruções de modo mais seguro). Abraço!

Hipacia disse...

Olá! Primeiro, obrigada pela visita. Segundo, de certa forma somos sim ratos gigantes, já que fomos o equivalente aos ratos um dia, se Darwin estiver certo, é claro. Terceiro, é um grande prazer ler os seus microcontos, de fato, inabituais, eu gostei bastante, certamente aparecerei mais. Você escreve com muita "soltura", é gostoso de ler. Adorei o do Diabo.
Abraço!

Ana P. disse...

Mas tem mta gente sofrendo então da síndrome de peixe. O difícil mesmo é vc pular fora do aquário, vc se destacar. É... mas ao menos Thunderbolt tentou. Ele lutou pelo sonho. E isso é em geral, o que importa! Beijokas!

Múcio Góes disse...

Que delicia, leveza, caro Antonio. Adorei passear por aqui... e segue a vida, peixe querendo homem, e este querendo ar.

linkado tbm!

[]´s

*Caroline Schneider* disse...

Meu querido... feliz de mim também de termos nossos caminhos entrelaçados... realmente, Larissa me faz muito feliz, pois através dela encontrei pessoas muito interessantes, dentre elas, você! Esse peixe me lembra um que eu tive, que queria ser livre, e, como não tinha asas, resolveu se lançar ao ralo num dia de limpeza do aquário (!) Se virou humanóide, não sei... mas que ganhou liberdade, ganhou... Beijocas estaladas* e uma ótima semana. Ah, amanhã, dia 04, é meu dia de escrever no Manufatura. Passa lá!

niltim disse...

quem sabe Thunderbolt nada sabe?
rs.

gostei!

diovvani mendonça disse...

Pode haver peixes querendo ser homens. Assim como também, honens querendo ser peixes (ou uma infinidade de seres e coisas). rsrs - Talvez tudo seja possível... Mas apenas saberemos como Thunderbolt, quando dermos nosso salto mortal no oco do lago mistério - e "nadarmos", libertos da nossa compreensão enjaulada na carne. AbraçoDasMinas.

Iuri disse...

Taí,
gostei de cara.

:)